Aviso aos navegantes:

"Aqui a casa é ventilada, o coração é quente e as vontades têm a temperatura exata para os sonhos."
Fique à vontade, leve um pouco de mim, deixe um pouco de você. Comente!

Investindo na caminhada!


"Eu sei que vou. Insisto na caminhada. O que não dá é pra ficar parado.

Se amanhã o que eu sonhei não for bem aquilo, eu tiro um arco-íris da cartola. 

E refaço. Colo. Pinto e bordo. Porque a força de dentro é maior. 

Maior que todo mal que existe no mundo. Maior que todos os ventos contrários.

É maior porque é do bem. E nisso, sim, acredito até o fim.

O destino da felicidade, me foi traçado no berço"

(Caio Fernando Abreu)

A FRANQUEZA.... Tristão de Athayde... REFLEXÕES IMPORTANTES PARA O VIVER BEM! (N)


A Franqueza
Tristão de Athayde
Ao meditar sobre as pequenas virtudes humanas que constituem o estado normal de nossa vida moral cotidiana, sempre em estado de tensão entre extremos, coloquei a naturalidade como primeiro degrau de nossa disponibilidade nesse caminho da perfectibilidade, que é a lei de todos os seres criados.A Franqueza é o nosso primeiro fruto da naturalidade. 
É o passo inicial para essa difícil virtude da coragem que Churchill colocava como a mais alta das virtudes humanas. A franqueza é a coragem da verdade. É uma vitória constante sobre o medo. 
A partir do medo de nós mesmos. Pois antes de termos da verdade exterior de nós, começamos por temer nossa própria atitude em face da vida, tanto dos princípios como dos fatos, e tanto das ideias como dos acontecimentos. De modo que, em tudo, podemos assumir duas atitudes preliminares ou mesmo constantes.  Pois no plano da ação, o passo mais ardo como o mais promissor e também o mais perigoso é o passo inicial, o famoso “il n’y a que le premer pas qui coute” da velha sentença popular francesa e universal, que Mao Tsetung tornou famosa, modernamente, como sendo o passo mais difícil para a Marcha da Revolução, aliás de todas as revoluções, as autênticas como as passageiras e as negativas.
Essa opção é encararmos de frente os fatos, o homens e os acontecimentos, ou nos abstermos em face deles. Esse o nosso primeiro desafio perante a vida. A criança aceita sem hesitar. E por isso é naturalmente levada a superar as hesitações da adolescência. E escolher o caminho da franqueza na mocidade e na maturidade. Pois a franqueza é uma lição de infância por toda a vida. Inconsciente na infância, mas já em competição com outra inclinação também inconsciente, a da dissimulação ou da mentira. Pois nosso conflito interior e a opção constante em que vivemos crescem com a idade mas estão contidos na própria ambiguidade congênita ao ser humano. Se a inclinação à franqueza é intrinsecamente superior à da dissimulação ou da timidez, é que a franqueza é o caminho certo para o nosso aperfeiçoamento e o outro, o caminho para a nossa degradação. A franqueza é, portanto, a nossa inclinação sadia no caminho da verdade. Nossa coragem em face dela. Como o retraimento, a dissimulação, é o caminho do medo de nós mesmos, dos outros e da vida em geral. A lição pela franqueza, portanto, deve começar na própria infância, nessa primeira encruzilhada da vida. Dizer a verdade é a mais importante lição que devemos revelar na vida e transmitir a nossos filhos ou a nossos discípulos. O horror da mentira é o primeiro passo para o exercício da franqueza, como o caminho da nossa verdadeira humanização.
*
Nessa opção entre o caminho do medo e o da verdade – em que a franqueza é o caminho da verdade – há como em tudo, a sedição dos extremos e o esforço para superá-la na lenta construção do equilíbrio. O equilíbrio não é a superação pela complementaridade. Pois essa atração ameaça a virtude natural ou adquirida da franqueza, isto é, do amor e do destemor pela verdade, como ameaça todas as nossas atitudes em face da vida. Passam então a existir os que se abrem totalmente e os que totalmente se fecham. Nesses extremos é que o sentimento se torna paixão, o pensamento se torna sectário, a própria fé se torna fanatismo. Para evitar essa descida para os extremos unilaterais é que se impõe a discrição, tão cara a São Bento (o mais sábio psicólogo de todos os santos), ou a temperança, como a chamavam os gregos. Ou a medida, como a chama o instinto. Ou a sabedoria, como nos ensina a atitude mail alta da humanidade em face dos mistérios da vida. Mas há também a opção errada, que confunde meio-termo com mediocridade, discrição com simulação, boa educação com covardia. Lembramo-nos da lição da infância. Há temperamentos naturalmente abertos, como temperamentos naturalmente fechados. Ambos perfeitamente lícitos, a cujas tendências naturais devemos obedecer, pois há sempre um germe de verdade no erro, como um germe de virtude no pecado. E vice-versa. Como há momentos de abertura ou de retração. Sístoles e diástoles psicológicas, como cardiológicas. As circunstâncias impõem a escolha desses caminhos, desde que contidos pela discrição, pelo equilíbrio, pelo senso comum. Lembrando sempre que só podemos dominar a natureza, mesmo em suas más inclinações, obedecendo-lhe. A homeopatia é uma medicina racional. É também natural. Ou mesmo providencial, como a serpente de bronze de Moisés no deserto...
A franqueza ou o retraimento, portanto, não são virtudes ou males intrínsecos ou absolutos. Não são valores invariáveis, positivos ou negativos. São valores ambíguos. Podem desdobrar-se potencialmente para o bem ou para o mal. Os temperamentos abertos são mais naturalmente abertos à franqueza e portanto ao amor e o destemor pela verdade. Os fechados, mais perigosamente sensíveis, à dissimulação e à hipocrisia. Esses últimos, portanto, mais frágeis moralmente e mais necessitados de uma formação moral do caráter, que é filho da franqueza. Esta não é apenas um temperamento. Mas igualmente uma lenta conquista, especialmente no sentido de contê-la destro dos limites da discrição e do bom senso e evitar-lhe os rompantes e abusos. Pois constitui um ponto de partida e não apenas um instinto e portanto uma facilidade, uma condescendência com as nossas origens animais. Ou antes, à parte animal de nossa origem. A franqueza, pelo contrário, deve ser um esforço contínuo para distinguir o que há nela de instinto de mera condescendência temperamental, com a sabedoria de nossa opção pela verdade. A verdade é sempre a medida da franqueza. E a mestre desse equilíbrio, desse meio-termo, antimedíocre tão deslocado e confundido com a mediocridade e o conformismo. É por  isso que os revolucionários se tornam facilmente reacionários. E estes, aqueles. E em ambos existe a centelha possível da verdade. Como nos temperamentos fracos e nos temperamentos retraídos. Sempre a necessidade de superação e não da supressão dos extremos como o melhor caminho para a verdade.
A franqueza, portanto, é um ponto de partida ou apoio, em nosso convívio autêntico conosco mesmo e com os outros. Uma garantia de confiabilidade. De respeito pela verdade alheia. Pelas opiniões alheias. Pelo consenso democrático, no plano político. Pela justiça, no plano econômico. Pela paz, no terreno internacional. Essa unidade na variedade é uma condição essencial no exercício da franqueza, como situação de convivência e de harmonia. E não de desenvolvimento egoístico e provocante. O ser humano é, por natureza, compósito. É um ser no tempo em constante vir-a-ser e por conseguinte em situações sempre mutáveis entre o apelo do passado e do presente, da paz e da luta. Em suma, do bem e do mal. Se a franqueza é um bem em si, mas sempre em função do dever ser ou do ser do próximo, é que a verdade é por natureza aberta a todos. Como a mentira, a dissimulação e a hipocrisia. A franqueza é apenas o melhor caminho para a paz, como a paz tem de ser não uma entrega ao conforto da preguiça e da facilidade ou da capitulação em face do medo, mas uma constante recomposição do instinto do bem, que existe em nós simultâneo ao instinto do mal.
Nessa encruzilhada é que a virtude da franqueza deve ser contida pelo bom senso, pela força do equilíbrio (pois a aparente fraqueza do equilíbrio é a melhor razão de sua força). Só assim se pode entender o famoso paradoxo de São Paulo: quando diz que é na sua fraqueza que se manifesta a força de Deus. “Porque quando me sinto fraco, então é que sou forte”(2 Cor. 12,10).
Ser fraco é um bem secundum quid, como dizem os filósofos. Isto é, uma virtude em função de um bem superior que é a verdade. Ser fraco é um bem, mas ser indiscreto, destemperado, ou agressivo é um mal. Tudo está no equilíbrio. A gafe, por exemplo, é a franqueza inoportuna. Uma verdade deslocada. Mas que pode tornar-se uma lição intencional, em benefício da verdade ou em castigo da impostura.
A franqueza é um bem, por ser uma forma de autenticidade, de naturalidade, de caráter. É mesmo a maior homenagem que podemos prestar à verdade, pela coragem de a proclamar “opportune et importune”. Saber graduar e situar a oportunidade de proclamar a verdade pela franqueza é uma condição de polidez e respeito pelos direitos alheios.
Como o meio termo é uma forma de sabedoria, mas a mediocridade é uma capitulação. A coragem não se confunde com a temeridade. Saber ser franco sem cair no exibicionismo da vaidade de o ser é a  força e a autenticidade da franqueza. Pois esta é a plenitude da naturalidade. E ambas representam este próprio espírito da infância, em todas as idades humanas, que o próprio Cristo no inculcou como modelo moral para todas as idades. Entre o excesso de franqueza e o excesso de retraimento e timidez, confesso que prefiro sempre o excesso de franqueza. A falta ou medo da franqueza é a porta secreta para a dissimulação e a hipocrisia.

Amando sem reservas... (N)


Salve o amor. 
Aquele de conchinha e barba na nuca, que pode durar pra  sempre ou só até amanhã. 
Aquele amor sem medo, sem freio, que ama  e pronto. 
Salve o amor que a gente dá e pega de volta outra hora, outro dia, com outra pessoa. 
Aquele aconchego facinho que não posa, não se  esforça, não finge. 
Salve o amor-próprio, que resolve a vida de muitos, o  amor das amigas, que aguenta, arrasta e levanta. 
Salve o amor na pista,  que roça, se esfrega, se joga e vai embora. 
Um amor só pra hoje, sem  pacote pra presente, sem laço ou dedicatória. 
Salve o primeiro amor, que  rasgou, perfurou, corroeu... ensinou. 
Salve o amor selvagem, o amor  soltinho, o amor amarradinho. 
Salve o amor da madrugada, sincero  enquanto dure e infinito posto que é chama. 
Salve o amor nu, despido de  inverdades e traquitanas eletrônicas. 
Salve o amor de dois a dez, um amor sem vergonha, sem legenda. 
Salve o amor eterno, preenchido de  muitos ardores. 
Salve o amor gigante, mas sem palavras, o rotativo e o  escrito, salve o amor rimado, cego, de quatro. 
Salve o amor safado, sincero e sincopado, o amor turrão e o encaixado.

(Lia Block) 

REDE DE FIOS... TRANSMISSÃO DE AMOR! (N)

Estou matutando aqui, pensando em escrever algo que possa penetrar nessa rede de fios e chegar até você em segundos, que possa transmitir sentimento, alegria, doçura, algo especial... 
Que seria interessante guardar aqui, como um relicário. 
Busquei em um dos meus escritores prediletos algumas palavras para exprimir, em parte, o que sinto por você,nesse momento... 
Mas que senti no passado do ontem e sentirei no futuro de amanhã: 
"Estou te querendo muito bem neste minuto. 
Tinha vontade que você estivesse aqui e eu pudesse te mostrar muitas coisas, grandes, pequenas, e sem nenhuma importância, algumas".

[Caio Fernando Abreu]

Eu quero estar contigo... Everson Russo (N)

                        Eu Quero Estar Contigo
Eu quero estar contigo
Num dia de inverno
Sentir o calor do teu corpo
Escrever-te flerte em meu caderno

Eu quero estar contigo
Numa noite de inverno
Estrelas quentes sob o cobertor
E no calor do nosso mundo mais amor

Eu quero estar contigo
Numa tarde de inverno
Pra te abraçar e não largar mais
Fazer incendiar o nosso amor eterno

Eu simplesmente quero estar contigo.

( Everson Russo)


Asas ... Edson Marques


Sou capaz de colocar minha vida em tuas mãos se elas me tocam com amor. 
Por algum tempo, posso até me entregar, 
transferir minha alma inteira para dentro do teu corpo. 
Transformar-me num enorme coração apaixonado 
— e saltar no fundo mais profundo do teu peito, meu amor. 
Mas, o poder de retornar continua sendo meu. 
Posso até dobrar um dia minhas duas asas, 
e deitar-me solto no teu colo. 
Mas jamais as cortarei. 
Asas demoram muito para crescer de novo.

Tempo Amigo de Organizar !


Eu sei que por algum tempo vou seguir oscilante entre a razão e o desejo.
Algumas decisões são tomadas  com o coração inquieto e o pensamento tomado por muitas coisas que aconteceram e que acontecem, tudo misturado.
Sei também que o tempo vai ser meu amigo para essas coisas da vida.
Com coragem eu sigo, nessa velocidade que eu não temo, nem mesmo de ousar ser feliz.


[Fernando Pessoa]

Eternos por natureza! (N & N)

Dois amantes felizes não têm fim nem morte, nascem e morrem tanta vez enquanto vivem, são eternos como é a natureza.

(Pablo Neruda)

Contigo é assim! (N)

Contigo sinto que posso tocar o céu e arrancar de lá as estrelas...

Vestígios de você em mim.... Uf.... (N)

                                                   

Tenho em mim
Vestígios de teus afagos
Caminhos traçados
Pelos teus dedos
Marcas da tórrida paixão
Que nos assolou!

(Maria Bonfá)

Resolvida pela vida! (N)


"A mulher boazinha, perde a cabeça por causa de homem. Já a mulher bem resolvida, faz qualquer homem perder a cabeça !"

(Françoisa Forechi)

Ah ...meu Deus... que bom seria! (N)

Meu Amor

Se agora em teus braços
pudesse estar
sentirias o quanto quero te amar

na carícia do meu beijo
no convite do meu olhar
O vento traz-me de ti saudades
atiçando o desejo de
sentir as doces ternuras
dos carinhos teus
e entre afagos de amor
em teus braços adormeceria
Ah... Meu Deus... que bom seria!

Boa reflexão.... (N)


O que realmente importa! (N)


E QUE SEJA DOCE... ETERNAMENTE DOCE! (N & N)

Vou ser feliz, sem me importar com o que isso irá causar aos outros. 
O importante é que não estou fazendo mal a ninguém, pelo contrário, estou apenas enterrando as impurezas e toxinas da minha vida e deixando brotar uma bela e frutífera árvore, e que seja doce.


(Caio Fernando Abreu)

Sou GIRASSOL... (N)

"(...) Que as dificuldades que eu experimentar ao longo da jornada não me roubem a capacidade de encanto."

Ana Jácomo

Desafio diário! (N)

''Às vezes você tem que morrer por dentro para levantar-se das suas próprias cinzas e acreditar em si mesmo e amar a si mesmo para se tornar uma nova pessoa.'' 

(Susana Hilmer)



OBS: Este é o nosso desafio diário! 

Perfeição de Deus!

                     Ninguém passa pela tua vida por engano. 

                          Não existem erros nos planos de Deus.

NADA NESTA VIDA É POR ACASO! (N)

"É exatamente disso que a vida é feita, de momentos. 
 Momentos que temos que passar, sendo bons ou ruins, para o nosso próprio aprendizado. 
 Nunca esquecendo do mais importante: NADA NESSA VIDA É POR ACASO.  Absolutamente nada. 
 Por isso, temos que nos preocupar em fazer a nossa parte, da melhor forma possível. 
 A vida nem sempre segue a nossa vontade, mas ela é perfeita naquilo que tem que ser."

(Chico Xavier)

O que realmente vale a pena.... (N)

"Um dia você entende que o tempo não é inimigo. 
 E que ele é o nosso maior mestre. 
 Que tudo vem na hora que deve vir. 
 Que não adianta espernear nem se esconder da vida. 
 Que a fuga não é a melhor saída. 
 E que no fim das contas a gente sempre acaba agradecendo tudo que passou.    Porque o tempo (ah, o tempo!) está sempre ao nosso lado para nos mostrar o que realmente vale a pena."

Clarissa Corrêa

Rotinas... fazem parte!

“Ninguém nos impõe nada, nossa rotina é leve ou pesada de acordo com nossa capacidade de gerenciar a própria vida e de ver graça nela, do jeito repetitivo que ela é, e ao mesmo tempo sempre inédita."

Martha Medeiros

Saudação à PRIMAVERA! 22/09/2012 (N)


Sonhos renovados! (N)

"Se um sonho cair e se quebrar em mil partes, não tenha medo de pegar uma delas e começar novamente."

(Flavia Weedn)

O AVESSO AMOROSO... Fabrício Carpinejar


Cautela ao fazer exigências sentimentais. O amor não respeita idealizações, desobedece condições climáticas.
 
O amor é tudo o que você não esperava que fosse amar numa pessoa.

(Fabrício Carpinejar)

VENHA POR FAVOR.... Fabrício Carpinejar... (N & N)





Eu espero alguém que não desista de mim mesmo quando já não tem interesse. Espero alguém que não me torture com promessas de envelhecer comigo, que realmente envelheça comigo. Espero alguém que se orgulhe do que escrevo, que me faça ser mais amigo dos meus amigos e mais irmão dos meus irmãos. Espero alguém que não tenha medo do escândalo, mas tenha medo da indiferença. Espero alguém que ponha bilhetinhos dentro daqueles livros que vou ler até o fim. Espero alguém que se arrependa rápido de suas grosserias e me perdoe sem querer. Espero alguém que me avise que estou repetindo a roupa na semana. Espero alguém que nunca abandone a conversa quando não sei mais falar. Espero alguém que, nos jantares entre os amigos, dispute comigo para contar primeiro como nos conhecemos. Espero alguém que goste de dirigir para nos revezarmos em longas viagens. Espero alguém disposto a conferir se a porta está fechada e o café desligado, se meu rosto está aborrecido ou esperançoso. Espero alguém que prove que amar não é contrato, que o amor não termina com nossos erros. Espero alguém que não se irrite com a minha ansiedade. Espero alguém que possa criar toda uma linguagem cifrada para que ninguém nos recrimine. Espero alguém que arrume ingressos de teatro de repente, que me sequestre ao cinema, que cheire meu corpo suado como se ainda fosse perfume. Espero alguém que não largue as mãos dadas nem para coçar o rosto. Espero alguém que me olhe demoradamente quando estou distraído, que me telefone para narrar como foi seu dia. Espero alguém que procure um espaço acolchoado em meu peito. Espero alguém que minta que cozinha e só diga a verdade depois que comi. Espero alguém que leia uma notícia, veja que haverá um show de minha banda predileta, e corra para me adiantar por e-mail. Espero alguém que ame meus filhos como se estivesse reencontrando minha infância e adolescência fora de mim. Espero alguém que fique me chamando para dormir, que fique me chamando para despertar, que não precise me chamar para amar. Espero alguém com uma vocação pela metade, uma frustração antiga, um desejo de ser algo que não se cumpriu, uma melancolia discreta, para nunca ser prepotente. Espero alguém que tenha uma risada tão bonita que terei sempre vontade de ser engraçado. Espero alguém que comente sua dor com respeito e ouça minha dor com interesse. Espero alguém que prepare minha festa de aniversário em segredo e crie conspiração dos amigos para me ajudar. Espero alguém que pinte o muro onde passo, que não se perturbe com o que as pessoas pensam a nosso respeito. Espero alguém que vire cínico no desespero e doce na tristeza. Espero alguém que curta o domingo em casa, acordar tarde e andar de chinelos, e que me pergunte o tempo antes de olhar para as janelas. Espero alguém que me ensine a me amar porque a separação apenas vem me ensinando a me destruir. Espero alguém que tenha pressa de mim, eternidade de mim, que chegue logo, que apareça hoje, que largue o casaco no sofá e não seja educado a ponto de estendê-lo no cabide. Espero encontrar uma mulher que me torne novamente necessário.




Publicado no jornal Zero Hora
Coluna semanal, p. 2, 18/09/2012
Porto Alegre (RS), Edição N° 17196

Alegria é AMOR! (N)

" Alegria é oração. Alegria é força. Alegria é AMOR.
   Alegria é uma teia amorosa com a qual podemos capturar almas! " 
   (Madre Teresa de Calcutá) 

Rompendo padrões...


          " Mulheres bem comportadas dificilmente fazem história." 
                               (Laurel Thatcher Ulriche)

Para minha filha... meu tesouro... minha vida!

"Há duas coisas que eu quero ensinar para minha filha. Uma é ser uma boa pessoa. No fim do dia, isso é muito mais importante do que quão sucedida você é. A outra é que quando você sente medo é sinal de que tem de superá-lo. Não importa se temos 6 ou 60 anos, todas temos medo do desconhecido. (...) As minhas grandes experiências de crescimento aconteceram quando eu enfrentei e superei o meu medo!" (Betsy Myers)

AMOR... muito mais AMOR! (N)


Bem estar Bem... (N & N)


Minha definição...teimosamente fiel a mim mesma! (N)

" A culpa mais sofrida é sempre a que surge quando desistimos de nosso desejo. Não há melhor exemplo para todos nós do que o de mulheres que têm a coragem de ser teimosamente fiéis a seus desejos. " 
(CONTARDO CALLIGARIS)

Auto - estima e voltas por cima!

            " Auto - estima é se sentir realizada a cada página virada" 

Verdadeira Viagem! (N)

" A verdadeira viagem de descoberta consiste não em procurar novas   paisagens, mas em ter novos olhos." (Marcel Proust)

Investimento com retorno imediato! (N)

Fofura descontraída! kkk


Meu lado certo..."reverso do revirado"... o melhor lado! (N)


Não existem acasos! Só bençãos divinas! (N)


Vem.... tô esperando meu abraço, com cara de amasso! (N)


Eu armada para VIDA! (N)


Grande lição!


Portas abertas ... em mim!


Minha oração para hoje!


Alma mais que feliz! (N)